Redes Sociais:
HomeNotíciaCulturaPelotas recebe Festival Internacional de Música

Pelotas recebe Festival Internacional de Música

O Serviço Social do Comércio (Sesc) abriu segunda-feira (14) à noite, em Pelotas, Rio Grande do Sul, seu 9º Festival Internacional de Música.

Portugal Digital com Agência Brasil


O coletivo Sphaera Mundi, que abre o festival nesta noite em Pelotas
Coletivo Sphaera Mundi abriu o Festival Internacional de Música em Pelotas

Considerado um dos maiores eventos de música clássica na América Latina, o evento se estenderá até o próximo dia 25, englobando 60 espetáculos e 24 cursos musicais, todos gratuitos, dos quais participarão professores de 15 países, incluindo o Brasil.

Pelotas é sede do festival desde sua primeira edição por reunir universidades, rede hoteleira, teatral e de restaurantes em um perímetro próximo, facilitando o deslocamento de músicos e alunos.

O concerto de abertura ficou a cargo do coletivo Sphaera Mundi Orquestra, tendo como solista a violinista argentina Lucia Luque, no Teatro Guarany, após um cortejo musical que desfilou pela cidade, com todos os participantes. A expectativa é que mais de 30 mil pessoas assistam aos espetáculos.

Mais de 1,1 mil alunos do Peru, da Argentina, do Chile e do Uruguai e dos estados brasileiro do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Minas Gerais, Paraná, Goiás, Pará, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e Espírito Santo se inscreveram para as cerca de 320 vagas disponibilizadas.

Os professores são oriundos do Brasil e de países como Colômbia, Estados Unidos, China, Argentina, Itália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Alemanha, Uruguai, Bielorússia, França, Turquia, Rússia e Japão. Além de dar aulas, os professores farão apresentações durante o festival.

Nesta terça-feira (15), está prevista a apresentação do maestro argentino Carlos Buono, de 76 anos, ícone do bandoneón, instrumento musical de palhetas livres, semelhante a uma concertina, utilizado principalmente na região do Rio da Prata, no Uruguai e na Argentina, onde é o principal instrumento da orquestra de tango.

Doce e música

Para valorizar a comunidade pelotense, famosa pela fabricação de doces, os organizadores do festival estão usando o slogan “o lado doce da música”. No final do ano passado, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) concedeu a Pelotas o título de Patrimônio Imaterial do Brasil, reconhecendo a tradição doceira do município gaúcho.

“É um cartão de visitas de Pelotas a questão dos doces, sejam os doces finos, de tradição portuguesa, sejam os doces enlatados em conservas e compotas”, diz Sílvio Bento. Desse modo, foi criada uma ligação entre o prazer da música e o prazer do doce, ressaltou.

Segundo o Sesc, o festival é uma oportunidade de valorizar no Brasil e no exterior a cultura e o turismo de Pelotas.

Entre as atrações do festival destaca-se ainda o encontro nacional de orquestras jovens do Sesc, que reunirá grupos do Piauí, de Sergipe e de Minas Gerais. As orquestras jovens são formadas por alunos de 10 a 18 anos, que integram projetos sociais e educativos do Sesc e de instituições públicas. Os jovens participam de aulas de contrabaixo, violino, viola, violoncelo, musicalização e prática de conjunto promovidas pelo Sesc. Parte desse trabalho musical poderá ser conferido nas apresentações que começam amanhã (15) e vão até a quinta-feira (24) da próxima semana em  igrejas da cidade, entre as quais a Catedral do Redentor, no centro.

Outra novidade é a implementação do choro na grade de cursos, abrindo espaço para o aprendizado de violão, acordeon, bandolim e cavaquinho, além dos sopros e a percussão.

Compartilhar

Escrito por: Portugal Digital

Nenhum comentário

Deixe um comentário