Quarta, 03 de Setembro, 2014
02/09/2014 por Vítor Ramalho

A importância da concepção universalista e tolerante dos povos lusófonos

As referências noticiosas sobre o que se passa nalguns países ou regiões (...) dá-nos o retrato deste mundo global que, ao endeusar os mercados e ao favorecer a desregulamentação, se tornou inseguro e pouco receptivo aos direitos humanos.

Leia mais

01/09/2014 por Carlos Fino

O dilema da Ucrânia

Morreu cedo a esperança de um começo de solução no conflito da Ucrânia suscitada pelo encontro da semana passada em Minsk, entre os presidentes Pútin e Poroshenko.

Leia mais

30/08/2014 por Alfredo Prado

Uma campanha de incertezas

Há mais de quatro décadas, os chamados católicos progressistas deram uma significativa contribuição no combate à ditadura fascista que amordaçava os portugueses. Muitos foram presos e torturados. Alguns participaram da luta clandestina, integrados nas fileiras do Partido Comunista Português. A sua convicção religiosa não lhes tolheu a militância na luta pelo fim do regime ditatorial, nem, depois, pela construção da democracia.

Leia mais

27/08/2014 por Cecília Vick

Sustentabilidade e tecnologia: inimigos ou aliados?

É importante ter consciência de que todas as soluções tecnológicas também são agentes de poluição. Porém, com o bom uso, os mesmos dispositivos que agridem o planeta também podem contribuir para práticas sustentáveis.

Leia mais

25/08/2014 por Carlos Fino

Compromisso à vista na Ucrânia?

Mais de 2.000 mortos depois, os presidentes da Rússia e da Ucrânia, Vladimir Pútin e Petro Poroshenko, vão encontrar-se em Minsk, capital da Bielo-Rússia, para tentar um compromisso que ponha termo ao conflito armado em curso desde abril no leste ucraniano.

Leia mais

24/08/2014 por Alexandre Dias

Eficiência em atendimento de call center evita prejuízos à imagem da empresa

Para um call center, o investimento em soluções de telefonia não traz apenas agilidade e eficiência. O maior benefício é imensurável: a reputação da sua empresa.

Leia mais

20/08/2014 por Baptista Bastos

Os sonhos ainda são nossos

"Não foi para isto que nos batemos", diz. Não; não foi. Mas o mundo mudou. Uma nova ideologia tomou conta das coisas, e até as mais elementares e primordiais foram atingidas pelo vendaval. Diz: "Mas não traímos nem abdicámos da esperança de que, um dia, tudo melhorará." Acredito, digo eu.

Leia mais