Quinta, 24 de Julho, 2014

Jovens portugueses procuram na agricultura saídas para a crise

"A hortofruticultura representa 16 por cento dos projetos e 27 por cento do investimento aprovado até final de 2011, enquanto as culturas permanentes, vinha e olival representam 53 por cento dos projetos e 33 por cento do investimento aprovado", segundo dados do governo.

Lisboa - O Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER) recebeu, entre julho de 2011 e junho de 2012, quase 2.500 candidaturas para jovens agricultores, um número que pode ser justificado com a crise económica, de acordo com dados do Ministério da Agricultura, noticia a rádio TSF.

Entre 01 de julho de 2011 e até fim de junho de 2012 "deram entrada 2.478 candidaturas, a que corresponde um investimento de mais de 428 milhões de euros".

Desde que foi criado, em dezembro de 2007, até julho passado, o PRODER já apoiou cerca de 4.500 projetos de instalação de jovens agricultores, aos quais corresponde um investimento de 380 milhões de euros e um apoio de 290 milhões de euros.

O Norte de Portugal é a zona de eleição dos jovens agricultores apoiados pelo PRODER, com cerca de 55 por cento, tendo apenas 16 por cento escolhido o Centro para se instalar.

A região de Lisboa e Vale do Tejo foi escolhida por 12 por cento dos jovens agricultores, Alentejo por 11 por cento e o Algarve foi a que teve menor procura, apenas seis por cento.

Os setores hortofrutícola, a vinha e o olival são as áreas de atividade com maior peso.

"A hortofruticultura representa 16 por cento dos projetos e 27por cento do investimento aprovado até final de 2011, enquanto as culturas permanentes, vinha e olival representam 53 por cento dos projetos e 33 por cento do investimento aprovado", de acordo com o Ministério da Agricultura.

O PRODER é um instrumento estratégico e financeiro de apoio ao desenvolvimento rural do continente, para o período 2007-2013, aprovado pela Comissão Europeia.

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
seu email:
Comentário: