Sábado, 25 de Outubro, 2014

Instituto Camões lança em Brasília obra de cronista da Companhia de Jesus

Embaixada de Portugal no Brasil acolhe lançamento do "Livro do rio Máximo do Padre João Daniel", obra do cronista que viveu na Amazônia no período de 1741 a 1757 e cujas reflexões foram agora recuperadas por Henryk Siewierski.

Brasília - O Instituto Camões e a Universidade de Brasília, através da Cátedra Agostinho da Silva, promovem na próxima quinta-feira, às 19h30, o lançamento da obra "Livro do rio Máximo do Padre João Daniel", trabalho organizado por Henryk Siewierski e publicado pela EDUC, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Este lançamento, que decorrerá nas instalações do Instituto Camões na Embaixada de Portugal em Brasília, está inserido na programação do colóquio "Agostinho da Silva e os 50 anos da UNB" e na ocasião será também apresentada uma exposição bibliográfica de obras de Agostinho da Silva.

Jerusa Pires Ferreira, professora da PUC-SP, comenta, sobre os escritos que foram compilados em livro pela EDUC, que "o Padre João Daniel, cronista da Companhia de Jesus, que viveu na Amazônia no período de 1741 a 1757, precisa mesmo ser recuperado, a partir da violência de seu degredo e prisão em Portugal, onde morreria, e do alcance de sua obra, pensamento e legado que nos atingem e informam sobre o presente e se projetam ainda ao futuro".

"O trabalho de Henryk Siewierski sobre o Padre João Daniel vai nos mostrar outros aspectos, como a dimensão poética e o olhar de descoberta que nos levam à história pelo poético. Geografia e forma, detalhe e amplitude. O padre e personagem que se fez ator e autor no mundo amazônico nos situa de modo a podermos entender conquistas e impasses de nossa própria construção social e cultural ao longo de séculos", sublinha ainda a professora da PUC-SP

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
seu email:
Comentário: